Maria Leopoldina

Quem foi, biografia resumida, educação e casamento, participação na Independência do Brasil, nome completo, nascimento e morte


Maria Leopoldina: participação no processo de Independência do Brasil
Maria Leopoldina: participação no processo de Independência do Brasil

 

Quem foi

 

Carolina Josefa Leopoldina Francisca Fernanda de Habsburgo-Lorena, mais conhecida como Maria Leopoldina, nasceu no palácio de Schünbrunn, em Viena (Áustria), em 22 de janeiro de 1797 e faleceu no Rio de Janeiro em 11 de dezembro de 1826. Foi a primeira esposa do imperador dom Pedro I (do Brasil) e era a sexta filha do imperador Francisco I da Áustria e de sua segunda esposa, Maria Teresa de Bourbon-Sicília.

 

Educação e casamento

 

Maria Leopoldina recebeu, em sua terra natal, uma educação primorosa. Falava seis línguas fluentemente e adquiriu conhecimentos científicos, políticos, históricos e artísticos, tendo um grande interesse pelas ciências naturais. Isso a levou a trazer consigo para o Brasil, em sua comitiva, vários biólogos e cientistas.

 

No final de 1816, as negociações de seu casamento com o príncipe herdeiro do trono português tiveram início. Filho de d. João VI (1767-1826) e de Carlota Joaquina de Bourbon (1775-1830), d. Pedro de Bragança e Bourbon nasceu em Portugal, em 12 de outubro de 1798, e mudara-se com a família real para o Brasil em 1808, em razão do avanço de Bonaparte.

 

Em maio de 1817, na Igreja de Santo Agostinho, em Viena, o casamento foi celebrado por procuração, como era costume à época. Maria Leopoldina chegaria ao Brasil apenas em dezembro daquele ano.

 

Filhos (todos com d. Pedro I do Brasil)

 

- Maria II de Portugal


- Miguel, Príncipe da Beira


- João Carlos, Príncipe da Beira


- Januária do Brasil


- Paula do Brasil


- Francisca do Brasil


- Pedro II do Brasil

 

Independência do Brasil

 

Em 25 de abril de 1821, a corte portuguesa instalada no Rio de janeiro voltou a Portugal, deixando d. Pedro como regente do Brasil. Isso acirrou as desavenças entre portugueses e brasileiros, que cada vez mais almejavam sua independência. Em fevereiro de 1822, a tropas portuguesas finalmente deixaram o Brasil, o que representou a dissolução dos laços que o ligavam à metrópole.

 

Em setembro de 1822, Maria Leopoldina recebeu notícias de que Portugal estava preparando uma ação contra o Brasil e, fazendo uso de seus atributos de chefe interina do governo, na ausência de d. Pedro I, assinou o decreto da Independência, declarando o Brasil separado de Portugal. Depois, enviou uma carta a seu esposo para que ele fizesse a proclamação oficial, a qual lhe chegou no dia 7 de setembro, às margens do rio Ipiranga, em São Paulo.

 

Falecimento

 

Maria Leopoldina faleceu no Palácio de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, em 1826, vítima de uma septicemia puerpepal. Está sepultada na Capela Imperial, sob o Monumento do Ipiranga, em São Paulo.

 

Fontes:


https://www.klepsidra.net/klepsidra14/leopoldina.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Leopoldina_de_%C3%81ustria

https://seuhistory.com/hoje-na-historia/
maria-leopoldina-assina-o-decreto-da-independencia-do-brasil




Impressão


Maria Leopoldina Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

D. Leopoldina - A História não contada - a mulher que arquitetou a Independência do Brasil

Autor: Rezzutti, Paulo

Editora: Leya Casa da Palavra

Ano: 2017

Temas do livro: História do Brasil, Biografia, Personagem Histórico


Veja Também


Temas diversos

Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2019 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.