Arte Africana

A arte africana tem relações diretas com a vida religiosa, política, mitológica e cultural dos diversos povos do continente.


Máscara africana de Madeira
Máscara africana de Madeira

 

Introdução 

 

A arte africana é um conjunto de manifestações artísticas produzidas pelos povos da África subsaariana (sul do Saara na África) ao longo da história.

 

História

 

A história da arte africana remonta o período pré-histórico. As formas artísticas mais antigas são as pinturas e gravações em pedra de Tassili e Ennedi, na região do Saara (6000 a.C. ao século I da nossa era).  


Outros exemplos da arte primitiva africana são as esculturas modeladas em argila dos artistas da cultura Nok (norte da Nigéria), feitas entre 500 a.C. e 200 d.C. Destacam-se também os trabalhos decorativos de bronze (liga metálica de cobre e estanho) de Igbo-Ukwu (séculos IX e X) e as magníficas esculturas em bronze e terracota de Ifé (do século XII ao XV). Estas últimas mostram a habilidade técnica e estão representadas de forma tão naturalista que, até pouco tempo atrás, acreditava-se ter inspirações na arte da Grécia Antiga.

 

arte africana

Igbo-Ukwu: arte africana em bronze

 



Principais características da arte africana:

 

• O continente africano acolhe uma grande variedade de culturas, caracterizadas cada uma delas por um idioma próprio, tradições e formas artísticas características. O deserto do Saara atuou e continua atuando como uma barreira natural entre o norte da África e o resto do continente. Os registros históricos e artísticos demonstram indícios que confirmam uma série de influências entre as duas zonas. Estas trocas culturais foram facilitadas pelas rotas de comércio que atravessam a África desde a Antiguidade. 

 

• Os motivos geralmente incluem animais, plantas e outros elementos do mundo natural.

 

• Temas religiosos e ancestrais são comuns, especialmente em máscaras e esculturas utilizadas em rituais.

 

• Cores vivas e brilhantes são frequentemente usadas, especialmente em têxteis e miçangas.

 

• Estátuas e máscaras são mais prevalentes do que obras de arte bidimensionais, como pinturas.




Influências islâmicas na região do Saara

 

Podemos identificar atualmente, na região sul do Saara (região Norte da África), características da arte islâmica, assim como formas arquitetônicas de influência norte-africana. Pesquisas arqueológicas demonstram uma forte influência cultural e artística do Egito Antigo nas civilizações africanas do Sul do Saara. 

 

A arte africana é um reflexo fiel das ricas histórias, mitos, crenças e filosofia dos habitantes deste enorme continente. A riqueza desta arte tem fornecido matéria-prima e inspiração para vários movimentos artísticos contemporâneos da América e da Europa. Artistas do século XX admiraram a importância da abstração (subjetivo e fora da realidade) e do naturalismo (valorização dos aspectos da natureza) na arte africana. 



A produção artística e os temas

 

Os povos africanos faziam seus objetos de arte utilizando diversos elementos da natureza. Faziam esculturas de marfim (material das presas dos elefantes), máscaras entalhadas em madeira e ornamentos em ouro e bronze. Os temas retratados nas obras de arte remetem ao cotidiano, à religião e aos aspectos naturais (árvores, plantas, rios, montanhas) da região. Desta forma, esculpiam e pintavam mitos, animais da floresta, cenas das tradições, personagens do cotidiano, etc. 

 

Estatueta do povo Bamum do Camarões

Estatueta do povo Bamum do Camarões

 

 

Chegada ao Brasil 


A arte africana chegou ao Brasil através dos escravos, que foram trazidos para cá pelos portugueses durante os períodos colonial e imperial (entre os séculos XVI e XIX). Em muitos casos, os elementos artísticos africanos fundiram-se com os indígenas e portugueses, para gerar novos componentes artísticos de uma magnífica arte afro-brasileira.

 

 

 

RESUMO SOBRE A ARTE AFRICANA:

 


Características Gerais:

- Diversidade: grande variedade de estilos e técnicas devido à vasta gama de culturas e etnias no continente.
- Funcionalidade: muitas obras têm funções utilitárias, religiosas ou cerimoniais.
- Materialidade: uso de materiais locais como madeira, marfim, metal, tecido e argila.
- Simbolismo: forte presença de símbolos e significados espirituais ou culturais.



Principais Tipos de Arte:

- Escultura: uso predominante de madeira, mas também marfim e metal; figuras humanas e animais são comuns.
- Máscaras: utilizadas em rituais e cerimônias; simbolizam espíritos, ancestrais, e forças naturais.
- Tecelagem e Têxteis: tecidos como kente de Gana; padrões e cores que indicam status social e identidade cultural.
- Cerâmica: vasos e figuras com funções domésticas e rituais; decoradas com padrões simbólicos.
- Pintura Corporal e Tatuagem: usadas em rituais, celebrações e como identificação tribal.



Funções e Contextos:

- Religioso e Espiritual: objetos utilizados em práticas religiosas, rituais de iniciação, funerais, e adoração de ancestrais.
- Político e Social: representação de poder e autoridade, como estatuetas de reis e líderes.
- Educativo: transmissão de histórias, mitos e valores culturais através de narrativas visuais.
- Comemorativo: celebração de eventos importantes e personalidades significativas.



Regiões e Estilos:

- África Ocidental: Culturas como Iorubá, Benin, e Ashanti; conhecida por esculturas em bronze e máscaras elaboradas.
- África Central: Gongo e Luba; famosa por figuras de poder e fetiches nkisi.
- África Oriental: Maasai e Swahili; arte em contas, joias, e escultura em madeira.
- África Austral: San e Ndebele; pinturas rupestres e artesanato em miçangas.
- África do Norte: Influências islâmicas; mosaicos, cerâmica, e arquitetura decorativa.



Influências e Evolução:

- Colonialismo: impacto negativo na preservação e produção da arte africana; saque de artefatos e mudança de funções.
- Modernidade: sincretismo entre tradições africanas e influências ocidentais; surgimento de novos movimentos artísticos.
- Mercado Global: crescimento do interesse internacional pela arte africana; exposições e comércio de arte.



Artistas e Movimentos Contemporâneos:


- Artistas Notáveis: El Anatsui, Yinka Shonibare, Wangechi Mutu, entre outros.
- Temas Atuais: Identidade, diáspora, globalização, crítica social e política.
- Técnicas Modernas: Uso de mídias digitais, instalações, e arte performática.



Conservação e Preservação:


- Desafios: condições climáticas adversas, conflitos e falta de recursos.
- Iniciativas: museus, fundações e projetos comunitários dedicados à preservação e promoção da arte africana.





Atualizado em 13/06/2024

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Arte africana e afro-brasileira
Autor: SILVA, DILMA DE MELO / CALAÇA, MARIA CECILIA
Editora: Terceira Margem

 

Fonte de referência do artigo:

 

- HODGE, Susie. Breve História da Arte. São Paulo: Editora Gustavo Gili, 2018.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.