Hades

Na mitologia grega, Hades era o deus do submundo e dos mortos.


Hades: deus do submundo e dos mortos na mitologia grega
Hades: deus do submundo e dos mortos na mitologia grega

 

Quem era

 

Na mitologia grega, Hades era o deus responsável por governar o mundo subterrâneo (submundo ou mundo inferior) e as almas após a morte. Era filho de Cronos e de Reia, irmão de Zeus (deus dos deuses) e de Poseidon (deus dos mares). 

 

Poderes do deus Hades na mitologia grega e como ele era:

 

Hades, também conhecido como o Rei dos Mortos, era um deus que provocava muito medo na Grécia Antiga. Como estava relacionado com a morte, os gregos evitavam falar seu nome.

 

De acordo com a mitologia grega, Hades era muito quieto, intimidativo e impiedoso. Não gostava de oferendas e sacrifícios. Também não costuma interferir nos assuntos terrenos.

 

O cão Cérbero 

 

Hades possuía um companheiro que era o seu cão Cérbero. De aspecto monstruoso, com várias cabeças, o cão era o responsável por guardar a entrada do reino dos mortos.

 

Escultura antiga do deus Hades ao lado de seu cão Cérbero

Hades e o seu cão Cérbero

 

 

Hades e o mito do rapto de Perséfone

 

A passagem mitológica mais conhecida envolvendo o deus Hades é aquela em que ele rapta Perséfone, filha da deusa Deméter, para viver com ele no mundo subterrâneo, tornando-a sua esposa. Este mito é mais conhecido como o Rapto de Cora (como Perséfone era retratada na mitologia romana).

 

Segundo o mito, Perséfone, filha de Deméter (deusa da colheita e fertilidade), era uma jovem deusa incrivelmente bela. Um dia, enquanto Perséfone colhia flores, Hades a viu e foi tomado por sua beleza. Dominado pelo desejo, decidiu raptá-la para ser sua rainha no submundo. Hades emergiu de uma fenda na terra e levou Perséfone para o seu reino, deixando Deméter em desespero ao descobrir o desaparecimento da filha.


O luto de Deméter foi tão profundo que ela negligenciou seus deveres, e a terra começou a murchar e morrer. Sem colheitas, a fome se espalhou entre os humanos, levando a orações que alcançaram os outros deuses. Eventualmente, Zeus, o rei dos deuses, interveio. Ele ordenou que Hades libertasse Perséfone. No entanto, porque Perséfone havia comido sementes de romã no submundo – um ato simbólico de casamento e consumação no mito antigo – foi decretado que ela passaria parte do ano (outono e inverno) com Hades e o resto (primavera e verão) com sua mãe na Terra. O retorno cíclico de Perséfone era usado para explicar a mudança das estações, seu tempo no submundo correlacionado com os meses estéreis e seu tempo na Terra com os meses de crescimento e colheita.


Neste mito, Hades desempenha o papel tanto de raptor quanto de eventual marido, um arquétipo comum nas mitologias antigas. Suas ações influenciam diretamente o mundo natural, ligando o submundo e o ciclo de vida e morte aos ritmos da terra e da agricultura.

 

Curiosidades mitológicas:

 

- Na mitologia grega, Hades tinha a função de guardar todo ouro e pedras preciosas que existia no subsolo. Por isso, em algumas cidades gregas, ele também era considerado como sendo o deus da riqueza.

 

- Segundo os mitos gregos, Hades teve três filhos com Perséfone: Macária (deusa da boa morte), Melinoe (deusa das cerimônias fúnebres, dos fantasmas e das oferendas) e Zagreu (espécie de avatar do deus Dionísio).

 

- Na mitologia romana, Plutão é o deus equivalente a Hades.

 

- O artefato associado a Hades era um Elmo das trevas.

 

Perséfone e o deus Hades

Perséfone e o deus Hades (gravura grega de, aproximadamente, 430 a.C.)



 




Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Deuses gregos - coleção do museu Pergamon
Autor: Scholl, Andreas
Editora: Pancrom


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.