Quilombo dos Palmares

Este quilombo foi um dos principais núcleos de resistência negra contra a escravidão no Brasil Colonial.


Zumbi dos Palmares: líder do Quilombo dos Palmares
Zumbi dos Palmares: líder do Quilombo dos Palmares

 

O que foi e localização


O Quilombo dos Palmares foi um dos mais importantes quilombos do Período Colonial da História do Brasil. Ele surgiu e se desenvolveu na antiga capitania de Pernambuco, na região da Serra da Barriga.


As principais características do Quilombo dos Palmares foram:



- O auge do Quilombo dos Palmares foi a segunda metade do século XVII, embora tenha surgido no final do século XVI.



- Era constituído por quilombolas (escravos fugitivos das fazendas que viviam nos quilombos) que tinham sido escravos em fazendas das capitanias da Bahia e Pernambuco.



- Tornou-se símbolo da resistência negra à escravidão.


- Com relação à organização, o Quilombo dos Palmares era composto por vários mocambos (núcleos de povoamento). Os principais foram: Subupira, Macaco e Zumbi. De acordo com historiadores, o Quilombo de Palmares atingiu de 15 a 20 mil quilombolas na segunda metade do século XVII.



- No aspecto econômico, os quilombolas de Palmares viviam basicamente da agricultura de subsistência, da pesca e caça. Plantavam milho, banana, feijão, mandioca, laranja e cana-de-açúcar. Faziam também artesanato com cerâmica, tecido palha e até metais.

Típicas habitações do Quilombo dos Palmares

Reprodução das típicas habitações que existiam do Quilombo dos Palmares. A foto é do Parque Memorial do Quilombo dos Palmares que fica em Alagoas.




Organização política e lideranças



Alguns historiadores acreditam que o Quilombo dos Palmares tinha uma organização política semelhantes aos reinos africanos, ou seja, poder centralizado nas mãos de um líder. Ganga Zumba e Zumbi foram os líderes mais conhecidos deste quilombo.

 

 

Repressão ao quilombo



Considerando uma ameaça a organização política e social da colônia, o governo colonial organizou várias expedições para reprimir e dominar o Quilombo de Palmares.



O quilombo foi dominado somente em 1695, após a investida militar do bandeirante Domingos Jorge Velho. Em 20 de novembro, Zumbi foi emboscado e morto.



Dia da Consciência Negra



Todo dia 20 de novembro (dia da morte de Zumbi dos Palmares) comemoramos o Dia da Consciência Negra. A data é uma referência e homenagem à Zumbi dos Palmares e a todos os negros que resistiram bravamente à escravidão.

 

Pintura mostrando Zumbi dos Palmares, líder quilombola
Zumbi dos Palmares: obra do pintor Antônio Parreiras (século XIX).

 

 

GANGA ZUMBA: O PRIMEIRO REI DE PALMARES

 

Ganga Zumba foi um dos líderes e o primeiro rei dos Quilombo dos Palmares, uma das maiores comunidades de escravos fugitivos do Nordeste, no período do Brasil Colonial.
Junto com seu sobrinho, Zumbi dos Palmares, é considerado um dos símbolos da resistência negra à escravidão.

 

Ganga Zumba nasceu no reino do Congo (sudoeste da África) no ano de 1638. Era filho da princesa Aqualtune da Casa de Kinlaza. Ainda jovem, foi capturado na África por traficantes de escravos portugueses e enviado para a região Nordeste para ser comercializado como escravo. O destino de sua mãe foi o mesmo.


Já no Brasil, trabalhou numa fazenda do Nordeste por certo tempo.


De acordo com historiadores, foi sua mãe que liderou a fuga de escravos na fazenda, encaminhando-os para o quilombo.


Foi o líder do Quilombo dos Palmares entre os anos de 1670 e 1678. Foi sucedido por seu sobrinho, Zumbi dos Palmares.


Durante seu período de liderança, organizou o Quilombo dos Palmares, de acordo com as tradições sociais africanas (do reino do Congo). Foi também o líder da resistência em vários ataques sofridos pelo quilombo, em tentativas de destruir o núcleo de escravos fugitivos.


 Num dos ataques do governo de Pernambuco, alguns parentes de Ganga Zumba (sobrinhos e filhos) foram sequestrados pelos soldados.


Em 1678, o governador da Capitania de Pernambuco, Pedro de Almeida, armou uma cilada para Ganga Zumba. Propôs um acordo de paz ao líder quilombola, desde que eles fossem morar numa outra região e não aceitassem mais escravos fugitivos. Ganga Zumba concordou com a proposta, porém muitos dos moradores do Quilombo dos Palmares foram contra, inclusive seu sobrinho, Zumbi dos Palmares. O grupo liderado por Ganga Zumba deixou a Serra da Barriga (local do Quilombo dos Palmares) e foi para a região do Vale do Cacau (região determinada pelo governador, no acordo). Ao chegarem no novo local, Ganga Zumba e seu grupo perceberam que tinham sido enganados, pois a região era vigiada por soldados, além da terra não ser boa para o cultivo. Esse fato gerou conflitos no grupo e questionamento sobre a liderança de Ganga Zumba.


No mesmo ano de 1679, Ganga Zumba morreu. Não temos certeza da causa de sua morte. Alguns pesquisadores afirmam ter sido suicídio em função da grande decepção de ter aceitado o acordo com o governador. Outros historiadores defendem a explicação de que o líder foi morto por integrantes do seu próprio grupo, que ficaram revoltados com o líder. Há também aqueles que acreditam que Ganga Zumba pode ter sido assassinado pelo próprio Zumbi dos Palmares.

 

Estátua de Ganga Zumba

Estátua em homenagem a Ganga Zumba (Parque da Serra da Barriga, estado de Alagoas).



 


 

atualizado em 29/10/2021

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Quilombo dos Palmares Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Palmares, ontem e hoje

Autor: Funari, Pedro Paulo

Editora: Zahar



Fontes de referência:


- FERREIRA, Olavo Leonel. História do Brasil. São Paulo: Ática, 1986.


- PILETTI, Nelson. História do Brasil. São Paulo: Ática, 1990.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2023 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.