Curiosidades sobre a Primeira Guerra Mundial

Conheça abaixo vários fatos e informações curiosas sobre a 1ª Guerra Mundial.


Ilustração sobre a Primeira Guerra Mundial
Ilustração sobre a Primeira Guerra Mundial

 

Curiosidades históricas sobre a Primeira Guerra Mundial:

 

A 1ª Guerra Mundial também ficou conhecida como "A Guerra das Guerras".

 

As forças militares da Tríplice Entente contaram com cerca de 43 milhões de soldados. Enquanto na Tríplice Aliança lutaram cerca de 25 milhões de soldados.

 

As principais frentes de batalha na Europa (principal palco da guerra), durante a Grande Guerra, foram: Frente Ocidental (principalmente França, Bélgica, Luxemburgo e Suíça), Bálcãs (principalmente Grécia, Bulgária e Albânia), Frente Oriental (principalmente Hungria, Áustria, Croácia, Polônia, Romênia) e Campanha Italiana (Itália).

 

O Brasil também participou da Grande Guerra enviando, para os campos de batalha, enfermeiros e medicamentos para ajudar os países da Tríplice Entente.

 

Cerca de 68 milhões de soldados lutaram na guerra.

 

Em dezembro de 1914, soldados alemães e britânicos fizeram um cessar-fogo não oficial, conhecido como Trégua de Natal. Ambos os lados emergiram de suas trincheiras, compartilharam comida, cantaram canções de Natal e até jogaram futebol juntos na "terra de ninguém".

 

Cachorros foram muito utilizados ​​nas trincheiras para levar mensagens e medicamentos. Um cão mensageiro bem treinado era considerado uma forma muito rápida, eficiente e confiável de transmitir mensagens nos fronts (locais) de batalha.

 

Foi a primeira grande guerra em que aviões e tanques foram utilizados.

 

Alguns dos autores mais famosos do século 20 serviram durante a Primeira Guerra Mundial, incluindo J.R.R. Tolkien, Ernest Hemingway e C. S. Lewis. Muitas de suas experiências influenciaram seus trabalhos posteriores.

 

Cerca de 85% dos 7,7 milhões de soldados do Império Austro-húngaro, que lutaram na guerra, foram feridos ou mortos.

 

Quando os britânicos inventaram os tanques de guerra, eles os apelidaram de "naves espaciais".

 

Cerca de 7,7 milhões de civis morreram durante a Primeira Guerra Mundial.

 

Durante a Primeira Guerra Mundial, os animais eram frequentemente usados para diferentes tarefas. Por exemplo, pombos-correios enviavam mensagens e cavalos e mulas transportavam suprimentos.

 

Balões de observação tripulados foram utilizados em campo de batalha, principalmente sobre as áreas com trincheiras.

 

Muitas crianças se alistaram e participaram de combates na Grande Guerra. Há registros de participação de crianças de até 10 anos de idade, que pegaram em armas para batalhar.

 

O grupo nacionalista e terrorista sérvio, responsável pelo assassinato do arquiduque Francisco Fernando da Áustria, era chamado de Mão Negra.

 

A guerra levou a avanços em muitos campos, incluindo a cirurgia plástica. Para ajudar os soldados desfigurados pela guerra, Harold Gillies, um cirurgião neozelandês, começou a usar enxertos de pele de uma nova maneira que lançou as bases para a cirurgia plástica moderna.

 

A famosa cientista e física polonesa (naturalizada francesa) Marie Curie ajudou a equipar veículos com máquinas de Raio-x, que possibilitaram aos médicos franceses ver balas em soldados feridos. Na França, esses veículos foram apelidados de "petites Curies", que significa "pequenas Curies".

 

Foto com três crianças que particilaram da Primeira Guerra Mundial

 Crianças alemãs (provavelmente entre 12 e 14 anos) que participaram da Primeira Guerra Mundial.

 

 

Tanques de guerra utilizados na Primeira Guerra Mundial

Tanques de guerra utilizados na Primeira Guerra Mundial

 

 

Cães foram usados na Primeira Guerra Mundial

Cães foram usados na Primeira Guerra Mundial

 

 


 

Artigo publicado em 28/05/2021

Por Jefferson Evandro Machado Ramos
Graduado em História pela Universidade de São Paulo - USP (1994).




Você também pode gostar de:


Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

EVANS, Martin Marix. História da primeira guerra mundial: vitória na frente ocidental. São Paulo: M. Books do Brasil Editora, 2014.

 

FERGUSON,  Naill. O  horror  da  guerra:  uma  provocativa  análise  da  Primeira  Guerra Mundial. São Paulo: Planeta, 2014.


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.



Copyright © 2004 - 2024 SuaPesquisa.com
Todos os direitos reservados.