Convênio de Taubaté

O que foi, resumo, consequências, beneficiados e prejudicados, história, contexto histórico, objetivos da política de valorização do café


Convênio de Taubaté: estoques de café para regular os preços
Convênio de Taubaté: estoques de café para regular os preços

 

O que foi

 

O Convênio de Taubaté foi um plano feito entre os governos de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro e os grandes cafeicultores destes estados. Este acordo, firmado em 1906, na cidade de Taubaté (interior de São Paulo) tinha como principal objetivo aumentar o preço do café.

 

Contexto histórico e objetivos

 

No começo do século XX, o café era o principal produto da economia brasileira. Porém, devido ao excesso de oferta, o produto teve seu preço reduzido no mercado internacional, gerando uma crise no setor.

 

Logo, o objetivo principal do Convênio de Taubaté era controlar a oferta do produto no mercado internacional e nacional para forçar a revalorização do produto.

 

Como funcionou o Convênio de Taubaté

 

De acordo com o plano, os governos de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro compravam a produção de café dos produtores, fazendo e gerenciando estoques reguladores do produto. O produto era colocado no mercado de acordo com a lei da oferta e procura, visando sempre manter os preços elevados, garantindo desta forma o lucro dos produtores.

 

Na maior parte dos casos, estes governos compravam o café dos produtores a um preço maior do que vendiam no mercado, obtendo prejuízos nesta relação. E quando a procura por café no mercado internacional era menor do que a oferta, para manter os preços altos, os governos queimavam estoques do produto, gerando mais prejuízos aos cofres públicos.

 

Como estes estados não tinham capital para comprar os elevados estoques de café e ainda manter os preços controlados, precisaram recorrer a empréstimos em bancos estrangeiros (ingleses e norte-americanos), que estavam abrindo suas portas no Brasil naquela época.

 

Beneficiados e prejudicados

 

Os principais beneficiados foram os grandes produtores de café do Brasil, pois conseguiram vender seus estoques de café e garantir a obtenção de lucros e a manutenção dos seus negócios.

 

Não podemos deixar de apontar também que os trabalhadores das fazendas de café mantiveram seus empregos. Uma crise grave neste setor, com certeza, teria provocado demissão em massa, prejudicando milhares de famílias que dependiam destes empregos para sobreviverem.

 

Por outro lado, estes governos usaram dinheiro público para comprar, estocar e gerenciar a venda de café. Este dinheiro poderia ter sido usado em benefício de toda sociedade, além de poder ter sido investido em outros setores da economia como, por exemplo, o industrial que também estava necessitando de recursos para alavancar o crescimento.

 

Consequências principais

 

- O Convênio de Taubaté conseguiu alcançar a valorização do café, beneficiando os grandes produtores.

 

- Foi evitada uma forte crise no setor, fato que poderia prejudicar toda economia nacional.

 

- O acordo gerou um forte aumento da dívida dos estados com bancos estrangeiros.

 

- Diminuição dos recursos dos estados de MG, SP e RJ para investir em outros setores da economia e nas diversas áreas sociais.




Impressão Google+


Convênio de Taubaté Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Formação econômica cafeeira do Brasil

Autor: Furtado, Celso

Editora: Companhia Editora Nacional

Temas: História do Brasil República, Economia, Ciclo do Café


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2017 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.