Revolução Liberal do Porto de 1820

O que foi, causas e consequências, quando ocorreu, objetivos, resumo, história, bibliografia, contexto histórico


Cortes portuguesas: liberais conduziram a revolução do Porto
Cortes portuguesas: liberais conduziram a revolução do Porto

 

O que foi (contexto histórico)

 

A Revolução Liberal do Porto foi um movimento político, ocorrido em Portugal no ano de 1820, de caráter liberal e antiabsolutista. Ele foi importante, pois teve consequências tanto em Portugal, quanto no Brasil. Foi organizado por políticos liberais e militares portugueses, tendo o Levante do Porto (24 de agosto de 1820) seu momento de início. Contou também com a participação de integrantes do clero, da nobreza e de pessoas do povo. Teve a cidade do Porto como ponto de partida, porém, rapidamente ganhou força em Lisboa e chegou a outras cidades portuguesas.

 

Em 28 de setembro de 1820, os governos de Lisboa e Porto uniram forças – foi formada uma Junta Provisória - para dar início a organização das eleições para formar as Cortes Constituintes, que teve a missão de formular a primeira Constituição de Portugal.

 

Causas principais

 

- Queda nos lucros dos comerciantes portugueses, que viram seus negócios declinarem no Brasil, após Dom João VI decretar a Abertura dos Portos as Nações Amigas (1808), que beneficiou os comerciantes britânicos.

 

- Crise econômica em Portugal, que gerou forte descontentamento popular, pois aumentou o desemprego e a pobreza.

 

- A ausência da corte em Portugal, que ficou na condição de protetorado do Reino Unido.

 

- Descontentamento dos militares portugueses com o controle das forças militares de Portugal pelo Reino Unido. Havia também forte ingerência britânica nos assuntos políticos e econômicos do Portugal.

 

Objetivos principais

 

- Forçar o retorno da corte, que estava no Brasil desde 1808, para Portugal.

 

- Diminuir a influência britânica em Portugal.

 

- Adotar medidas para recolonizar o Brasil, restabelecendo o Pacto Colonial (Brasil deveria voltar a comercializar exclusivamente com Portugal).

 

- Enfraquecer o movimento pró-independência que crescia a cada dia no Brasil.

 

- Substituir o regime absolutista pela monarquia constitucional, com uma Constituição de caráter liberal.

 

Consequências:

 

- Retorno, em 1821, da corte para Portugal. Porém, D. Pedro I ficou no Brasil como príncipe regente.

 

- Fim do governo absolutista em Portugal e instalação de um regime político constitucional com preponderância política do poder legislativo.

 

- Os portugueses colocaram em prática o plano para recolonizar o Brasil, tentando fazer com que D. Pedro I fosse para Portugal. A tentativa foi frustrada em 7 de setembro de 1822, quando ocorre a Proclamação da Independência do Brasil.

 

- Em 23 de setembro de 1822, foi promulgada a Constituição Portuguesa, que acabou com o absolutismo e implantou em regime baseado na monarquia constitucional. Ela foi de grande importância para a implantação da democracia em Portugal.




Impressão Google+


Revolução Liberal do Porto de 1820 Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

A Revolução de 1820: a conspiração

Autor: Andrade, João

Editora: Porto

Ano de publicação: 1983

Temas do livro: História de Portugal


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2017 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.