Erosão e Intemperismo

Ação do intemperismo e da erosão na modificação do relevo, agentes, resumo, exemplos, como agem no relevo


Geleiras: exemplo de agente externo do relevo
Geleiras: exemplo de agente externo do relevo

 

Introdução: os agentes do relevo

 

O relevo da superfície terrestre sofre ação de forças externas (exógenas), que são capazes de provocar modificações em sua forma. A erosão e o intemperismo são os principais agentes exógenos que atuam no relevo, modificando-o constantemente. Dunas, cânions, costões rochosos e fiordes são apenas alguns exemplos da ação destes agentes sobre o relevo.

 

Vale lembrar que estes agentes são da natureza. A ação humana, que também pode provocar modificações no relevo, não é considerada um agente exógeno.

 

Erosão e exemplos (agentes)

 

A erosão é o principal agente de modificação do relevo. Ele ocorre pela ação de agentes naturais. O solo fica exposto por muito tempo a estes agentes (ventos, mares, geleiras, água dos rios, etc.), e, como consequência, sofre desintegração e ou remoção.

 

- Ventos: carregam fragmentos do solo (principalmente areia) que formam dunas. Atuam também na lenta degradação de solos, deslocando e transportando fragmentos pequenos.

 

- Geleiras: grandes blocos de gelo, transportados pelas águas oceânicas, colidem com o solo litorâneo, provocando fendas. Assim formam os fiordes, presentes, por exemplo, na costa da Península da Escandinávia.

 

- Mares: as ondas batem nos paredões rochosos das áreas do litoral, provocando desgaste e modificações em seus formatos. As falésias, por exemplo, tem como origem a ação dos mares.

 

- Rios: o movimento das águas dos rios possui a capacidade de deslocar fragmentos do solo. Em centenas e milhares de anos podem aparecer cânions e vales, esculpidos pela força das águas fluviais.

 

Intemperismo e exemplos (agentes)

 

Já o intemperismo ocorre quando há ação de fenômenos químicos e físicos (mecânicos sem ação humana), que provocam degradação das rochas.

 

- Raízes de árvores: muitas árvores possuem raízes fortes e grandes. Com o crescimento, elas vão provocando deslocamento de terra e abertura de fendas no solo.

 

- Solidificação da água: em regiões de clima polar, a água infiltra em fendas de rochas. Com a queda da temperatura no inverno, a água passa para o estado sólido (gelo), aumentando o espaço que ocupava no estado líquido. Com um volume maior (cerca de 15%), a estrutura da rocha é pressionada, podendo causar fragmentação na mesma.

 

- Alteração química do solo: o intemperismo químico ocorre quando uma rocha possui uma composição química que pode ser alterada com a água das chuvas ou umidade. Essa alteração química pode gerar a decomposição da rocha.

 

- Amplitude térmica: em regiões em que há muita variação de temperatura durante o dia (em desertos, por exemplo), ocorre, por consequência, constantes movimentos de dilatação e contração das particulas que formam as rochas. Estes movimentos constantes (diários) durante médio e longo prazo podem provocar rachaduras estruturais nas rochas.




Impressão Google+


Erosão e Intemperismo Temas Relacionados
Bibliografia Indicada

 

Erosão e conservação dos solos

Autor: Guerra, Antônio José Teixeira

Editora: Bertrand Brasil

Ano de publicação: 1999

Temas do livro: Relevo, Erosão, Geografia


Veja Também


Temas diversos

Siga-nos no
Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor.
Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2004 - 2017 SuaPesquisa.Com
Todos os direitos reservados.